Consciência pesada...

Ainda não assumi minha bissexualidade e parece que não tenho tanta coragem assim para assumir,gosto de mulher mas sinto atração por homens,não me vejo dividindo o lar com um homem e nem acordando todo dia ao lado de um.Tenho meus sonhos de ter filhos e constituir uma família e ainda tenho alguém que gosta muito de mim e que tenho que servir de exemplo.
Tenho um primo de nove anos que me considera um pai e eu o considero filho ele confia em mim mais do que no pai biológico e isso me agrada muito,pois amor e compreensão ele só encontra comigo ( os pais dele são separados e não dão tanta importância pra ele ) mas quando olho pra ele parece que traindo a confiança dele.Não acho que o minha opção sexual seja errada ou algo do tipo mas sei que de todo modo ele não ia entender.
Com toda certeza ele não aceitaria que a pessoa que ele chama de " pai " e que ele atribui todos os seus sonhos seja homo ou bi.É difícil aceitar pra qualquer um ainda mais pra uma criança...
Fico extremamente frustrado com isso e ainda não sei pra onde correr,penso em negar o que sinto mas quando vejo já fiz e depois fico com remorso.


Parece que num mato sem cachorro...

8 coments:

Anônimo 11 de abril de 2007 16:13  

olá, sou gay e achei interessante o blog. tenho uma pergunta p fazer, pode enviar a resp. por e-mail jj_conversation@hotmail.com ou então falar sobre isso no seu blog ;) . qual o seu lado mais "aceso" ?!

Patrick 11 de abril de 2007 20:46  

:) olá!
Cara, você acha mesmo que ele não entenderia? Acho que entenderia mais que a maioria dos adultos... e, na boa, enquanto você não decidir se quer ou não ter uma família com esposa e filhos, acho que não precisa decidir sobre um ou outro... vai levando a vida! ;)

abração!

Patrick.

/iuri_tg 11 de abril de 2007 20:47  

cara, eu vi seu coment nu meu fotolog, + ainda naum comecei a ler sua história. estou um poko sem tempo, + nu fim de semana eu leio sim, pode dexar... adoro histórias assim, e lerei, pode fkr trankilo... vendo assim, axu q ateh eu irei criar um blog pra publicar minhas memórias... naum saum mtas, + eh legal compartilha-las e ver o que as outras pessoas axam... assim q eu ler, pd a certeza que eu comentarei ake... agradeço a visita ao fotolog, e dps me add nu msn ok?? iamitg@hotmail.com um abraço, um bjo e um qjo pra vc tb ^^

raphinha 12 de abril de 2007 15:16  

anonimo

espero ter sanado sua dúvida,e ainda quero perguntar váriar coisas sobre vc.
^^

patrick

cara isso é o que mais tá me pertubndo... mas seu conselho é válido,realmente vou tentar levar a vida e vou ver no que dá.

/iuri_tg

não esquenta... esperarei ansioso seus comentarios

iuri_tg 13 de abril de 2007 15:31  

sim, eu li a sua história hoje... entendo muito como vc se sente com relação a esse priminho. eu tenho uma irmã de cinco anos, e pretendo, aos poucos, cativar nela o sentimento de que não deve preconceitos, mas assim, seria um choque ela saber que o irmão q ela tanto adora, é gay. vou esperar ela ficar maior, aos poucos, vou introduzindo isso nela, ainda não sei bem como... ah sim, eu fiz o meu blog tb... ler essas coisas me fez querer fazer um... ^^ passa lah iuritg.blogspot.com ainda não comecei a escrever direito, mas a gnt pd fkr trocando figurinhas ^^ vc tem msn boy?? se tvr e qsr passar, me add, nu meu post eu pus o endereço do orkut e do msn, caso vc qsr add, eh só me dzr e eh vc q eu aceito trankilo ^^ bem, um bjo e um qjo =***

Binário 15 de abril de 2007 23:12  

Olá... queria saber o seu nome ou uma forma de chamá-lo...

(Será que eu li e esqueci?!)

Bem... eu entrei no seu blog pelo do patrick e to vendo que você tem uma baita agústia com o seu "filho" hein, mas cara as crianças costumam compreender coisas desse tipo mais facilmente que os adultos que já formaram opniões contra ou a favor...

E... acho que por hora é isso...

Boa sorte!

Garoto Ultrajante 16 de abril de 2007 10:46  

Bom, amigo, pelo que vi acho que você ainda está na primeira fase da sua sexualidade, tentando "se descobrir". Acho natural que você ainda tenha receios, medos... Mas também acho que você precisa pensar que, se ninguém começar a quebrar as barreiras que existem na sociedade, nós sempre teremos que viver escondidos, infelizes e frustrados. Você também precisa fazer a sua parte e tentar mudar as coisas erradas na mentalidade dessa sociedade hípócrita. Pense nisso.

;)

Anônimo 20 de novembro de 2009 17:18  

bom comeco